“Tentaram nos enterrar, não sabiam que éramos sementes…”

Partindo de uma visão global, holística e integral devemos considerar que os seres humanos precisam limpar seus corpos físico, emocional e espiritual para promover a transmutação das químicas nocivas aos corpos, que são criadas por sentimentos negativos e hábitos desequilibrados que intoxicam o corpo, a alma e a mente.

O processo de limpeza exige essencialmente mudança de convicções e comportamentos, que são ligados à capacidade de gerenciar nossas reações causadas pelos pensamentos de uma forma racional, para dessa forma desconstruir padrões limitantes e equilibrar as emoções diante dos desafios e situações que surgem para nós em nosso meio ambiente.

Todo terapeuta que pesquisa e manipula flores precisa ter a consciência da energia pura das flores para que, através dessa força, possa purificar os canais que formam seu campo energético. Ele torna-se assim um instrumento da Consciência Superior Divina, que acessa a fonte de conhecimento e cura com o fluir de sua sensibilidade, e pode, em um próximo passo, sobrepor a energia do paciente por meio de práticas integrativas, gerar a assepsia energética capaz de obter o equilíbrio emocional e físico e assim conduzir o tratamento.

As flores possuem em sua memória genética alta frequência vibracional e quando ingeridas sob aspecto de floral, mesmo em quantidade mínima, transporta toda sua força para a pessoa que o utiliza, transmutando emoções negativas em sentimentos de positividade. Em processo de similaridade e conexão, devolve harmoniosamente nossas características essenciais e o conhecimento integral através do discernimento, clareza e capacidade de avaliar as situações de forma mais tranquila e iluminada. A cura acontece de dentro para fora, pois no emocional é que se encontra as raízes da prevenção e do cuidado com a saúde.

A Terapia Floral não pretende substituir um bom diagnóstico médico, mas faz um convite a nos tratarmos de forma complementar, reconhecendo e reeducando nossas emoções, para assim prevenir possíveis enfermidades geradas por um emocional fragilizado. A mola propulsora dessa transformação é a percepção de que cada um é responsável por administrar seu poder pessoal, dominar a si mesmo com autoconfiança e se unir ao propósito universal relacionado a seu irmão e ao planeta.

Aqui e agora no planeta Terra somos seres humanos com o dom do pensamento racional, livre para manifestar o poder da criação. Estamos sempre buscando um sentido para a vida e, nesse ciclo, desde o nascimento aprendemos com as experiências e com a educação que nos foi concedida, a fazer escolhas a partir delas. Nessa busca de autoconhecimento, somos como as flores num imenso jardim, também murchamos, caímos, criamos raízes, crescemos… para no final florescer!

Tainá Gonzales
Terapeuta Floral

%d blogueiros gostam disto: